Guarda Municipal de Luziânia estará em operação no próximo semestre, diz Secretário Municipal de Segurança

Por Hudson Cunha - Jornalista 12/06/2017 - 10:11 hs
Foto: Hudson Cunha - Jornalista

Após o levantamento divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), destacar que Luziânia está entre as 30 cidades mais violentas do país, o prefeito; vereadores; lideres comunitários; representantes do Corpo de Bombeiros; Polícias Civil e Militar; OAB; e secretários municipais se reuniram nesta quarta-feira (7).

No encontro o secretário municipal de segurança pública Hildo Aniceto anunciou que no segundo semestre deste ano, a guarda municipal estará atuando juntamente as forças de segurança. “Alguns passos importantes já foram dados, que é a criação da guarda. Hoje estamos com 94 (noventa e quatro) agentes formados, e nós vamos ampliar,” disse.

Também foram apresentadas inúmeras ações desenvolvidas no município para coibir a criminalidade. Com destaque para a chegada, em agosto, de mais efetivos militares; a presença, já neste mês, de estagiários da ROTAN; a instituição do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (PROERD); a retomada dos trabalhos do GGIM (Gabinete de Gestão Integrada Municipal) e diversas outras ações preventivas e ostensivas. “Queremos discutir as necessidades de Luziânia em conjunto com a população para assim propor ações assertivas com o intuito de enfrentar nossas carências”, pontuou o presidente da Câmara Municipal de Luziânia, Murilo Roriz.

Confira a entrevista exclusiva de Murilo Roriz ao Blog do Hudson Cunha

 

 

Reuniões paralelas

O presidente Murilo Roriz convidou a classe dos mototaxistas. Na reunião com os motoboys a pauta principal foi à regulamentação destes profissionais, a fim de conferir maior segurança para quem transporta e é transportado.

Mais sobre o estudo do IPEA

Vale lembrar que os dados se referem ao ano de 2015. Chamado de Atlas da Violência 2017, o estudo foi feito em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. O levantamento considera cidades com mais de 100 mil habitantes.