Confira bela a Reflexão sobre a importância da Escola, por Professor F. Moacir Barros

A escola, como é conhecida hoje em dia, surgiu na Europa, no século XII, quando se desenhou o atual modelo com professores e crianças como alunos. Mas escola com a acepção multitemática, isto é, com as disciplinas básicas que se tem hoje, como português, matemática, ciências, história, geografia, língua estrangeira moderna, artes, etc..., apareceu somente em meados do século XIX.

Por Professor F. Moacir Barros 12/04/2018 - 10:28 hs

Falar sobre a importância da escola para a formação da sociedade moderna brasileira parece algo até desnecessário. Mas, na realidade, não o é. A escola precisa ser valorizada. Essa temática tem que transpor os umbrais das catedrais acadêmicas universitárias e tornar-se discussão corrente nos lábios do povo, principalmente das classes menos favorecidas, que é quem mais precisa da proteção educacional do Estado.

            Na realidade brasileira, a escola tem se tornado o principal veículo para o crescimento individual e consecução de melhores empregos, salários e geração de renda, melhoria da qualidade de vida e conseqüente aumento do Índice de Desenvolvimento Humano – IDH, e tem promovido, conseqüentemente, a necessária transformação social.

            Em anos eleitorais o que não faltam são promessas de melhorias na educação básica e nas escolas, especialmente nas públicas. Na realidade, certamente pelo acompanhamento e cobranças feitas pela imprensa, em matéria educacional, tem havido melhorias, principalmente, no aspecto material, com instalações mais adequadas, permitindo-se a inclusão de atividades esportivas. Mas o mais importante é o investimento em capital humano (professores, orientadores educacionais, psicólogos, coordenadores pedagógicos e demais auxiliares da educação). Não só sob o aspecto salarial, mas também da ótica da valorização profissional e do reconhecimento social, como ocorre, exemplificativamente, na Alemanha e no Japão. O resultado qualitativo da educação depende mais da expertise profissional do que de qualquer outro elemento.

            Da mesma forma, há que se pensar em incentivos e mecanismos para tornar as escolas particulares mais acessíveis à população de menor renda, permitindo-se a sua maior qualificação profissional e, inclusive, criando-se condições para que ela possa empreender e mudar sua condição econômica.

            A educação é direito de todos. É dever da família. É dever do Estado. A sua finalidade é o pleno desenvolvimento da pessoa, o seu preparo para o exercício da cidadania e a sua qualificação para o trabalho, e será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade. Essa certeza precisa ser assimilada: o Estado tem suas obrigações e a família também. Em matéria de educação, a sociedade brasileira deve incentivá-la e promovê-la. Aí sim, será possível ter-se uma nação melhor educada, menos violenta, menos explorada e menos exploradora. Mais pacífica e mais feliz.

            Por outro lado, na história da humanidade, nenhum país do mundo se tornou uma grande potência sem haver dado o devido valor à educação por meio da escola.

 

F. Moacir Barros é professor, escritor e advogado.